Home / Entretenimento / TV e Novelas

Category Archives: TV e Novelas

Feed Subscription

‘The Walking Dead’ terá dois novos personagens na próxima temporada

De acordo com o site “TV Line”, AMC procura dois homens para interpretarem personagens misteriosos na 8ª temporada da série

A oitava temporada de “The Walking Dead” promete muitas novidades, entre elas dois novos personagens bem misteriosos. De acordo com o site TVLine, a emissora AMC está buscando dois homenes para interpretarem os personagens no novo ano da série.

“The Walking Dead” terá dois novos personagens misteriosos na nova temporada, prevista para outubro

Foto: Divulgação

O primeiro deles é Dillon, que é descrito como um trabalhador de 20 e poucos que tem boas habilidades de sobrevivência, entre elas o sarcasmo. Já o outro personagem que entrará em “The Walking Dead” na nova temporada é Abbud, descrito como um adorável muçulmano, mas que tem os nervos à flor da pele, o que o fez andar sozinho por muito tempo.

Essas foram as únicas informações divulgadas sobre os novos personagens, mas os fãs já começaram as especulações. A tendência é que Dillon e Abbud façam parte do grupo de mocinhos da série.

Os espectadores mais fervorosos da série já estão imaginando os pares dos personagens. Para eles, Dillon será meio parecido com Spencer (Austin Nichols), enquanto Abbud pode ser um daqueles personagens que aparecem só para morrer. O próprio anúncio do casting, aliás, indica isso: a produção deixou claro que o ator escolhido para viver Dillon pode ter um contrato que dura mais de uma temporada.

A todo vapor

As filmagens da oitava temporada da série da AMC começaram nesta semana e estão a todo vapor. Em entrevista ao site americano Entertainment Weekly, o showrunner Scott Gimple disse que o novo ano da produção será diferente dos anteriores e aqueles episódios que contava uma história avulsa serão deixados de lado.

“As coisas vão andar e possivelmente não teremos mais aqueles mergulhos profundos nos personagens em episódios únicos. Vamos mostrando as peças a medida que a história avança”, disse o produtor.

A oitava temporada de “The Walking Dead” está prevista para ser lançada em outubro deste ano. O programa é exibido no Brasil pelo canal fechado Fox.

“A viagem” e outras produções com histórias e estruturas diferentes

“A Viagem” e “Vamp” são algumas das novelas com história inovadoras. Confira as novelas e minisséries que abusam da criatividade

Novelas, principalmente do horário nobre, normalmente são feitas para refletir a sociedade. Isso acaba engessando um pouco o modelo, e trazendo personagens parecidos de uma trama para outra: alguém do bem, ganancioso, apaixonado, etc. Outros horários, no entanto, conseguem ousar mais em sua história, e acabam tendo a oportunidade de criar mundos e enredos diferentes. É o caso de “Novo Mundo”, por exemplo, que mistura personagens históricos, como D. Pedro I, junto com figuras fictícias. Outros folhetins também investiram em tramas bem diferentes, como “A Viagem” e “Vamp”.

Relembramos as principais a seguir:

“A Viagem”

“A Viagem” mostrava o céu e o inferno, pela visão de um espírito

Foto: Divulgação/TV Globo

Baseado na filosofia espiritista de Allan Kardec, “A Viagem” tratou da vida após a morte, mostrando o céu e o inferno. A trama gira em torno do jovem Alexandre (Guilherme Fontes) que, depois de se matar, passa a infernizar a vida de quem ele culpa por seu trágico destino. Ele começa a se comunicar na terra com um médium que tenta o guiar para o bem. A história também mostra as dificuldades do casal Diná (Christiane Torloni) e Otávio (Antônio Fagundes) após a morte dele.

“Cordel Encantado”

“Cordel Encantado” foi original na fotografia e na maneira de contar a história

Foto: TV Globo

A produção encantadora da Rede Globo teve muito elementos inovadores, a começar pela fotografia. Baseada em literatura de cordel, a trama retrata o sertão com todas as suas cores e textura. O figurino e a trilha sonora também davam a novela características inovadoras. “Cordel Encantado” também utilizava figuras históricas como referência, a exemplo do cangaceiro Lampião, reimaginado como Coronel Herculano (Domingos Montagner).

“Meu Pedacinho de Chão”

'Meu Pedacinho de Chão' usou elementos lúdicos para contar sua história

‘Meu Pedacinho de Chão’ usou elementos lúdicos para contar sua história

Foto: Divulgação/Globo

A história de “Meu Pedacinho de Chão” poderia ser tradicional, a velha disputa entre adversário ideológicos, não fosse sua produção artística. Contada de maneira lúdica, a história traz figurinos e cenários divertidos e coloridos e alusões a fantasias como “O Sítio do Picapau Amarelo”. A protagonista Bruna Lizmayer tem o cabelo sor de rosa, enquanto Juliana Paes usava uma peruca no melhor estilo Maria Antonieta.

“Vamp”

Claudia Ohana interpretou a vampira Natasha em

Claudia Ohana interpretou a vampira Natasha em “Vamp”

Foto: Divulgação/TV Globo

“Vamp” misturava terror e comédia ao mostrar a vida do povo da cidade fictícia de Armação dos Anjos após a chegada de vampiros, como a cantora de rock Natasha (Claudia Ohana) e Vlad (Ney Latorraca). A divertida história contava ainda com Mrs. Penn Taylor, a caçadora de vampiros vivida por Vera Holtz.

Natasha vai a cidade a procura da Cruz de São Sebastião, única arma que pode derrotar Vlad. O herói da novela é o Capitão Jones, que em vidas passadas viveu um triângulo amoroso com a dupla de vampiros.

“Morde & Assopra”

“Morde & Assopra” misturou a modernidade dos robôs com os antigos dinossauros

Foto: TV Globo/Divulgação

“Morde & Assopra” mistura dois elementos adorados pela ficção científica, mas opostos: os jurássicos dinossauros, e os modernos robôs. A trama gira em torno de Júlia (Adriana Esteves), uma arqueóloga que viaja a pequena cidade de Preciosa atrás de ossos de dinossauros nunca antes encontrados. Ao mesmo tempo, o cientista Ícaro (Mateus Solano) tenta reconstruir sua falecida esposa Naomi (Flávia Alessandra) como robô.

“O Quinto dos Infernos”

Betty Lago interpretou a vilã histérica Carlota Joaquina em

Betty Lago interpretou a vilã histérica Carlota Joaquina em “O Quinto dos Infernos”

Foto: Divulgação/TV Globo

Assim como “Novo Mundo”, “Quinto dos Infernos” se baseia em fatos históricos, misturado com muita ficção. O tempo retratado também é o da família real portuguesa no Brasil. Carlota Joaquina (Betty Lago), inspirada em Maria Antonieta, é a grande vilã da história. Em meio a muita libertinagem e confusão, temos um retrato bem diferente dos livros de história.

A minissérie também trazia André Mattos como D. João VI e uma relação conturbada entre os irmãos Pedro (Marcos Pasquim) e Miguel (Caco Ciocler), já que o segundo é secretamente apaixonado pelo primeiro.

“Velho Chico”

Domingos Montagner e Camila Pitanga como os protagonistas de

Domingos Montagner e Camila Pitanga como os protagonistas de “Velho Chico”

Foto: Divulgação/TV Globo

A trama das 21h “Velho Chico” pode não ter agradado tanto o público, mas foi um sucesso de crítica. A novela, contada as margens do Rio São Francisco, tem nas águas um personagem, marcando o encontro e desencontro dos protagonistas. A fotografia de “Velho Chico”, assim como “Cordel Encantado”, destacava as belezas, e durezas do cenário.

“Liberdade, Liberdade”

Andréia Horta e Bruno Ferrari foram os protagonistas de

Andréia Horta e Bruno Ferrari foram os protagonistas de “Liberdade, Liberdade”

Foto: Globo/João Miguel Júnior

A novela das 23h “Liberdade, Liberdade” também contava com personagens históricos. A história gira em torno de Joaquina (Andreia Horta), filha de Tiradentes (Thiago Lacerda). Ela vive por ideias libertários parecidos aos do pai, em um período de ebulição nacional, que culmina na Independência do Brasil. Ela foi criada em Portugal, mas retorna ao país exatamente nesse período, e acaba se tornando um símbolo da luta contra a Coroa Portuguesa.

“Espelho Mágico”

“Espelho Mágico” retratou uma novela dentro de outra novela em 1977

Foto: Divulgação/TV Globo

A novela dentro da novela. Essa é a premissa de “Espelho Mágico”, que mistura ficção, com realidade, com ficção. A ideia é explorar os conflitos de atores, diretores, autores e jornalistas, onde muitas tramas podem refletir a realidade que os personagens estão passando. A novela traz o casal Tarcísio Meira e Glória Menezes, além, de Daniel Filho interpretando, veja, um diretor. “Espelho Mágico” mostra os bastidores das gravações de Coquetel de Amor, que acaba espelhando na TV os conflitos vividos por trás das câmeras.

“O Profeta”

Thiago Fragoso podia ver o futuro em

Thiago Fragoso podia ver o futuro em “O Profeta”

Foto: Divulgação/TV Globo

Outra produção voltada ao sobrenatural assim como “A Viagem”, “O Profeta” conta a história de Marcos (Thiago Fragoso), um jovem que consegue prever o futuro. A morte de um personagem, Camilo (Malvino Salvador) é o mistério principal, ao mesmo tempo que também retrata o sobrenatural, com Camilo tentando fazer a “passagem”.

Fátima Bernardes, ‘Tá no Ar’ e os melhores programas da TV aberta

Listamos os melhores programas da TV aberta brasileira. Tem espaço para humorísticos, jornalísticos, programas de auditório e mais; confira!

A televisão mantém uma programação constante. Exceto mudanças aqui e ali, em horários mais alternativos, pouco muda no que vemos na TV. A parte da manhã é mais dedicada a infantis, à tarde tomam conta os programas de fofoca e filmes, a noite o noticiário se mescla com a dramaturgia. Mas isso não significa que os programas não podem ser diferentes, ou de qualidade. Confira quais são, hoje, os melhores programas da TV aberta:

“Profissão Repórter”

Jornalístico está a quase 10 anos no ar, mostrando os bastidores das grandes reportagens

Jornalístico está a quase 10 anos no ar, mostrando os bastidores das grandes reportagens

Foto: Divulgação/TV Globo

Caco Barcellos é, sem dúvida, um dos maiores nomes do jornalismo atual. Responsável por grandes trabalhos de jornalismo investigativo, sendo o principal deles o livro “Rota 66”, Caco virou referência no assunto. Foi assim que, como um quadro no dominical “Fantástico”, começou o Profissão Repórter na TV aberta. A ideia do jornalístico era ir além da grande reportagem e mostrar os bastidores do jornalismo.

Quase dez anos depois, o programa continua relevante, mostrando temas que vão desde a migração do nordeste para São Paulo, passando pelos protestos que aconteceram no País nos últimos anos, até prostituição infantil.

“Encontro com Fátima Bernardes”

Fátima Bernardes promove debate sobre diversos temas que ainda são tabu no

Fátima Bernardes promove debate sobre diversos temas que ainda são tabu no “Encontro”

Foto: Reprodução

A jornalista Fátima Bernardes passou quase 15 anos à frente do “Jornal Nacional”. Depois disso, ela iniciou a carreira em um programa de variedades, estrelando o “Encontro”, onde leva atrações musicais nacionais, bem como artistas da emissora.

Fátima tem um público cativo de manhã e aproveita seu tempo no ar para discutir importantes assuntos que ainda são considerados tabu, como aborto e homossexualidade, entre outros. Com a presença de especialistas, a apresentadora permite um debate, não só entre os convidados, mas com o telespectador.

“Tá no Ar”

Humorístico

Humorístico “Ta no Ar” não perdoa nem os concorrentes, nem a própria emissora

Foto: Divulgação/Globo

O humorístico, também da Rede Globo, tem se destacado por suas esquetes que, além de divertir, tocam em várias feridas. O programa tem gerado muitos comentários nas redes sociais, aumentando seu alcance.

Comandado por Marcelo Adnet, que parece ter finalmente se encontrado na emissora, o “Tá no Ar” conta com um elenco e escritores de primeira linha, incluindo Marcius Melhem e Danton Mello. As piadas não perdoam nem mesmo a emissora, com quadros que tiram sarros de vários programas da casa como “Big Brother” e “Escolinha do Professor Raimundo”.

“Amor & Sexo”

“Amor e Sexo” melhora a cada ano, trazendo temas pertinentes para o debate

Foto: Reprodução/Globo

O programa comandado por Fernanda Lima já está no ar há oito anos, e parece só melhorar com o tempo. Com o objetivo de ampliar o debate sobre sexo e desmistificar o tema, “Amor & Sexo” também debateu vários tabus, como gostos sexuais peculiares, posições sexuais, sexo na terceira idade, entre outros.

A última temporada também teve muito destaque por ir além dos temas de sexo, e tratar de inclusão. Violência contra as mulheres, identidade de gênero e educação sexual foram alguns dos temas abordados. Os convidados que passaram pelo programa ao longo dos anos incluem José Loreto, Juliana Paes, Alexandre Nero, Glória Maria e o marido da apresentadora, Rodrigo Hilbert.

“Chaves”

“Chaves” se tornou um clássico e não sai da programação, mesmo sem novos episódios desde os anos 80

Foto: Divulgação

Sucesso desde sua estreia no Brasil, “Chaves” nunca deixou o programação do SBT, mesmo sem ter um episódio novo gravado desde 1980. Fenômeno no país, “Chaves” se tornou um clássico da cultura pop, angariando fãs a cada geração.

A história do menino órfão que vive num barril em uma vila conquistou e ainda conquista a todos. Com personagens tão inocentes quanto divertidos, a criação de Roberto Bolaños se estendeu ainda para o super-herói nada heroico “Chapolin Colorado”.

“Masterchef”

Os três chefes e a apresentadora Ana Paula Padrão estão a frente da competição culinária que faz sucesso nas redes

Os três chefes e a apresentadora Ana Paula Padrão estão a frente da competição culinária que faz sucesso nas redes

Foto: Divulgação/Band

Reality shows são presença constante na programação da TV aberta. Big Brother, Aprendiz, Troca de Família são alguns exemplos que que circularam e circulam ao longo dos anos. Porém, um que tem chamado muita atenção desde sua estreia é o “Masterchef”, da Band.

Apresentado por Ana Paula Padrão, o programa tem os como protagonistas os jurados Paola Carosella, Érick Jacquin e Henrique Fogaça, com personalidades fortes e sem papas nas línguas. O formato culinário é menos tradicional e acaba suprindo a grande leva de estrangeiros que enchem a TV paga. Com edições infantis e profissionais, o programa não sai da grade de programação da emissora, e já é um dos favoritos de público e da internet.

“Programa do Porchat”

Fábio Porchat tem talk-show na Record que acerta no texto e nas piadas

Fábio Porchat tem talk-show na Record que acerta no texto e nas piadas

Foto: Reprodução/Facebook

Outro modelo americano que tem se popularizado é o de talk-shows. Se Jô Soares reinava absoluto nessa área, hoje ele tem uma série de sucessores, como o “The Noite” do Danilo Gentili e o Adnight, de Marcelo Adnet. Chegando mais recentemente no formato está Fábio Porchat, que estreou na Record em 2016.

Com afinidade para a comédia, respostas rápida e afiada e bom roteiro, Porchat caiu nas graças dos espectadores. As esquetes também são bem pensadas e conseguem suprir a falta de grandes estrelas globais, que dificilmente conseguem comparecer a emissora concorrente.

“Cocoricó”

Infantil da TV Cultura sabe se renovar e se mantém atual%2C 20 anos após estreia

Infantil da TV Cultura sabe se renovar e se mantém atual, 20 anos após estreia

Foto: Divulgação/TV Cultura

A TV aberta tem um público muito vasto, alcançando da primeira a terceira idade. Sendo assim, não é possível deixar de fora um infantil e, entre tantos desenhos animados exibidos pelas emissoras, a produção nacional “Cocoricó” se destaca.

Apesar de manter o aspecto dos fantoches nos personagens desde o começo, o infantil soube se renovar desde sua estreia em 1996. Com a temática do campo, a história é protagonizada por Júlio e seus amigos, entre eles um cavalo, uma vaca e duas galinhas. Uma das principais sacadas do programa nos últimos anos, foi aliar o programa ao mundo digital. “Cocoricó” conta com um aplicativo que promove a interação das crianças para além do que se passa na TV. Outro destaque da atração é a trilha sonora, que se utiliza de ritmos brasileiros para educar e instruir as crianças.

“Máquina da Fama”

Apresentado por Patricia Abravanel,

Apresentado por Patricia Abravanel, “Máquina da Fama” teve formato sopiado pela Globo

Foto: Amanda Bozza/iG

Apresentado por Patrícia Abravanel, o “Máquina da Fama” tem uma premissa simples: convidar os famosos para interpretar outros famosos. Porém, o divertido fica por conta da grande caracterização, ensaios, danças e cenário.

Os participantes são julgados e recebem notas, levando um prêmio em dinheiro de acordo com a sua colocação. O formato deu tão certo que, recentemente, a Globo adaptou-o para o quadro “Show dos Famosos” no “Domingão do Faustão”.

“Bom Dia Brasil”

Ana Paula Araújo e Chico Pinheiro à frente do 'Bom Dia Brasil'

Ana Paula Araújo e Chico Pinheiro à frente do ‘Bom Dia Brasil’

Foto: Divulgação

Acordar cedo de manhã e enfrentar o transporte público para chegar ao trabalho não é tarefa fácil. Fazer isso enquanto encaramos as difíceis notícias do dia a dia, é mais complicado ainda, mas tem que ser feito. Por isso, é bom contar com um noticiário mais leve, e essa é a proposta do “Bom Dia Brasil”, no ar na TV aberta desde 1983. Hoje comandado por Chico Pinheiro e Ana Paula Araújo, o matinal dá mais espaço para comentaristas e análises dos últimos acontecimentos.

Diana usará filha para atrapalhar casamento de Gui e Júlia em ‘Rock Story’

A vilã realmente não cansa de tentar separar os pombinhos e dessa vez usará Chiara para isso, mas na sequência da novela Gui e Júlia se casam

Diana, personagem de Alinne Moraes em “Rock Story”, não mede esforços para atrapalhar o romance entre o pai de sua filha, Gui (Vladimir Brichta) e Júlia (Nathália Dill). Depois de aprontar poucas e boas, agora a vilã usará sua filha com o rockeiro para um mais um plano.

Diana não mede esforços para atrapalhar Gui e Júlia em

Diana não mede esforços para atrapalhar Gui e Júlia em “Rock Story”

Foto: Reprodução/Globo

Na sequência de “Rock Story”, com início na próxima segunda-feira (1), Gui e Júlia planejam seu casamento e Diana ficará extremamente arrasada quando Chiara (Lara Cariello) mostrar o vestido que o pai comprou para o casório. Para piorar ainda mais a situação da diretora musical, o pai da menina avisará que ela não morará mais com a mãe e levará a criança embora.

Diana usará Chiara em novo plano

Diana usará Chiara em novo plano

Foto: Reprodução/Globo

Tudo anda muito bem, até que a vilã vai a casa de Gui e leva a filha embora, não dando muita opção à Júlia, que estava com a menina. Chegando em casa, Diana diz à filha que o casamento foi adiado e o rockeiro fica extremamente nervoso ao saber que Chiara não está em casa.

Bom, já está claro para todo mundo que Diana está usando a filha para mais um de seus planos que visam separar e atrapalhar Gui e Julia, mas Gordo (Herson Capri), pai da megera, encontrará a neta e diz para a filha a levará para o casamento, frustrando mais uma armação dela. O fim da história? Os pombinhos finalmente se casam.

Gui e Júlia finalmente se casam

Gui e Júlia finalmente se casam

Foto: Reprodução/Globo

E agora? Diara armará mais um plano?

A Novela

Em “Rock Story”, Gui Santiago (Vladimir Brichta) é um roqueiro que viveu a glória nos anos 90 mas, com a imagem desgastada no mundo musical por conta das confusões e escândalos em que se meteu, tenta retomar seu lugar de destaque, incentivado por Gordo (Herson Capri), dono da gravadora Som Discos.

No entanto, isso não vai ser fácil, já que é largado por Diana (Alinne Moraes) e perde o espaço, a música (e a mulher) para Leo Regis (Rafael Vitti), astro do momento. Ao invés de ajudar, seu empresário, Lázaro (João Vicente de Castro), vaza seus escândalos para a imprensa e morre de inveja dele.

Gui precisa lidar também com Zac (Nicolas Prattes), seu filho adolescente que não vê há 15 anos. O rapaz começa a história sendo preso e ao longo da trama os dois precisam desenvolver uma relação de confiança. As gêmeas Júlia – bailarina que cruza a vida de Gui ao fugir da polícia por transportar drogas para os Estados Unidos sem saber, colocadas pelo namorado, Alex (Caio Paduan) – e Lorena (Nathália Dill), que vive no exterior.

Escrita por Maria Helena Nascimento, com direção geral de Dennis Carvalho e Maria de Médicis, “Rock Story” vai ao ar de segunda a sábado às 19h30 na Globo.

Marcos faz campanha para participar de ‘A Fazenda’: ‘Vou incomodar’

O cirurgião plástico que foi expulso do BBB17 utilizou as suas redes sociais para fazer um pedido aos fãs que lançassem uma hashtag em seu favor

Marcos Harter deu o que falar nas últimas semanas. Indiciado pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) na última quarta-feira (19) por lesão corporal, depois de ter tido discussões com a sua companheira, Emilly Araújo, o ex-participante do BBB volta aos holofotes, mas desta vez por uma outra questão: o desejo de participar no programa “A Fazenda”, da RecordTV.

Marcos faz um apelo para os fãs para que possa participar do reality show da RecordTV

Marcos faz um apelo para os fãs para que possa participar do reality show da RecordTV “A Fazenda”

Foto: Reprodução/Facebook

Na última terça-feira, durante uma transmissão ao vivo no Instagram, Marcos levantou a possibilidade de participar do reality show “A Fazenda” quando um seguidor perguntou ao cirurgião se ele aceitaria um convite para participar do programa concorrente ao Big Brother Brasil. Empolgado, Marcos não mediu palavras para expressar os seus interesses. “Vou incomodar”, afirmou.

Além disso, Marcos também fez um apelo aos seus fãs que subissem a hashtag #MarcosHarterNaFazenda no Twitter, como uma campanha para que ele tivesse a chance de integrar o grupo de participantes do programa que terá sua nona temporada no segundo semestre desse ano. O apelo deu certo e diversos fãs do cirurgião já fizeram publicações nas suas redes sociais clamando pela sua participação no reality show.

Participação no “Big Brother Brasil”

O contrato que Marcos Harter possui com a Globo, para a sua participação no Big Brother Brasil, termina este semestre, coincidindo com o início do programa da emissora concorrente. O cirurgião plástico foi expulso do BBB17 depois da intervenção da Polícia Civil no programa. O cirurgião foi acusado de agredir fisicamente a sua companheira Emilly Araújo e, se for provada a violência doméstica, Marcos pode pegar de um a três anos de prisão segundo a Lei Maria da Penha. As investigações ainda não foram concluídas pela polícia.

Sofá Digital ajuda a consolidar cultura do on demand no Brasil

Empresa viabiliza acesso do público aos filmes em plataformas como NOW, Vivo Play, iTunes e Netflix. Diretor da empresa diz que janela de lançamento de produções no cinema deve ser repensada em breve

O hábito de consumir conteúdo audiovisual mudou. A transformação, ainda em curso, é a maior em pelo menos trinta anos. As empresas de streaming, como Netflix e Amazon, chegaram para mudar nossa relação com esse conteúdo e, enquanto garantem lugar de destaque no maior e mais prestigiado festival de cinema do mundo, ensejam mudanças paradigmáticas no setor. A Sofá Digital, empresa fundada por Fábio Lima em 2013, faz parte dessa reengenharia cultural e de consumo capitaneada por essas gigantes da tecnologia e entretenimento.

Juliette Binoche  em cena de

Juliette Binoche em cena de “A Espera”, um de seus últimos lançamentos no Brasil. O filme estreou nas plataformas digitais poucos dias depois de chegar aos cinemas

Foto: Divulgação

O sócio-fundador e diretor da Sofá Digital recorre a analogia que talvez só os mais velhos entendam para explicar o que a empresa provê. “É similar ao que a Videolar fez para o vídeo”, observa. “Mesmo as grandes distribuidoras e as distribuidoras independentes trabalhavam com ela. O agregador faz a ponte entre as distribuidoras e as plataformas e cumpre exigências técnicas e legais”.

É a Sofá Digital que disponibiliza os filmes nas plataformas on demand. A empresa, que atua globalmente, mas foca proeminentemente na América Latina, é agregador preferencial do iTunes, mas também viabiliza filmes para plataformas como NOW, Vivo Play, Google Play e Netflix. É justamente a ela que faz o meio de campo entre distribuidoras e plataformas, além de assegurar demandas e padrões de ordem técnicas. “A Sofá Digital otimiza essa relação entre a plataforma e as distribuidoras”, atesta Lima.

Muito espaço para crescer

Lima cita a compra da Time Warner pela AT&T como exemplo do excepcional potencial de crescimento que o setor apresenta. O negócio envolvendo as gigantes da tecnologia e o conglomerado de comunicação interessa, e muito, a quem vê o streaming como o futuro. “Se você tiver AT&T vai ter a HBO de graça”, observa sobre um dos trunfos da empresa para avançar no ondemand.

Cena da 7ª temporada de Game of Thrones. Quem for assinante da  AT &T  terá HBO de graça pela internet nos EUA

Cena da 7ª temporada de Game of Thrones. Quem for assinante da AT &T terá HBO de graça pela internet nos EUA

Foto: Divulgação

Apesar de reconhecer que o Brasil está atrasado em relação aos EUA quando a discussão é o streaming, o executivo se diz empolgado de ver “acontecendo” a transformação da qual começou a fazer parte lá atrás, no ano 2000, quando passou a trabalhar com streaming. “O mercado não atingiu o meeting point para o modelo sob demanda”, opina. “Educação, regulação, volume de conteúdo, modelo de negócio, infraestrutura, modelo linear de mídia e receita principal são pontos que ainda precisam evoluir”.

O presidente da Sofá Digital é só elogios para a Netflix, que “rompeu com diversos paradigmas e botou fogo no rabo de todo mundo para transformar o mercado”. É o que vemos acontecer com a Globo, por exemplo, que tenta fazer com que o Globo Play seja um player nessa história. Lima admite que este um momento entusiasmante para atuar neste mercado. “Estamos longe do auge do ponto de maturidade do mercado e isso inclui tudo. Como as empresas de mídia tradicional vão reagir?”

Novas opções para o cinema

netflix vs amazon

Uma discussão cada vez mais encorpada no mundo do cinema é de como Netflix e Amazon podem estar minando o cinema independente. Isso porque altera não só a lógica do mercado, como oferece um potencial de audiência para esses filmes muito maior do que salas de cinemas selecionadas. O último vencedor do festival de Sundance, “I don´t Feel at Home in This World Anymore” já tinha sido vendido para a Netflix antes mesmo de debutar no festival e estreou mundialmente no site quatro semanas após o fim do festival.

Se esse cenário oferece segurança por um lado, por outro gera a preocupação se esse modelo seria capaz de prover um novo Quentin Tarantino, que há quase três décadas tomou Sundance de assalto com “Cães de Aluguel”. Ou mesmo figuras como Michael Moore, Todd Haynes e Paul Thomas Anderson. Fábio Lima não vê tantas razões para se preocupar. Ele enxerga toda essa movimentação como algo cíclico. “O exercício criativo do produtor independente segue livre e segue difícil”, observa. “Até porque eles compram o crème de la crème. É um filtro natural do mercado. Os filmes que têm mais potencial de mercado são vendidos mais caros”.

Os próprios estúdios já tiveram braços independentes como a Paramount Vantage e Warner Independent. Focus Pictures e Fox Searchlight ainda estão na ativa e Sony Pictures Classics, por exemplo, está cada vez mais fundida a Amazon. Esses estúdios costumam e costumavam operar em um esquema semelhante ao que as gigantes do streaming adotam atualmente.

Tony Ramos interpreta o maléfico Abel Zebu no seriado

Tony Ramos interpreta o maléfico Abel Zebu no seriado “Vade Retro”, que a Globo disponibiliza com antecedência em sua plataforma digital

Foto: Divulgação/TV Globo

“As plataformas digitais tendem a permitir que os filmes independentes viajem muito mais longe e tenham uma cauda mais longa do que teriam em DVD. A margem de rentabilidade dos filmes independentes hoje ela tende a ser maior do que com um filme vendendo muitos ingressos”, contemporiza o diretor da Sofá Digital.

Um dos principais trunfos da Sofá Digital é justamente o cinema independente, ou dito de arte, de tão difícil acesso no Brasil. Mensalmente opções do Irã, Europa e Ásia, além de preciosidades de festivais mundo afora, são disponibilizadas nas diferentes plataformas que trabalham com a Sofá.

Cena do filme A Bela e a Fera, um filme evento que estreou em março e já superou US$ 1 bilhão em arrecadação

Fábio Lima entende muito bem os rumos do mercado e vê o enfraquecimento do cinema independente na janela de cinema (jargão do meio para o momento que o filme ocupa as salas de cinema) como algo natural. “Isso permite que os filmes maiores tenham uma capilaridade maior nos cinemas. Você tem filme evento praticamente toda semana. Quando você faz um lançamento nacional você tem que gastar muito dinheiro em mídia nacional e precisa se assegurar do seu retorno”.

O diretor da Sofá Digital vê nessa “transformação social grandiosa” capitaneada pela Netflix o esvaziamento da atratividade de se ir ao cinema e classifica o momento atual como de transição. “O DVD já não gera mais dinheiro e o digital ainda não ocupa o espaço que o DVD já preencheu e talvez nem ocupe”. A transição abarca mídia, mercado, consumo e hábitos culturais e está só começando.

Produção de séries sofre boom no Brasil, mas não deve roubar espaço das novelas

A audiência mostra que a população já não assiste tanto novela quanto antigamente e é impossível evitar o investimento em outros formatos

“Magnífica 70”, “Manual Para se Defender de Aliens, Ninjas e Zumbis”, “Prata da Casa”, “Vade Retro” e “Sem Volta”. Essas são algumas das séries lançadas no Brasil nos últimos dois anos. Em um País que consome muito os “enlatados” americanos, a produção nacional parece estar prosperando. Das cinco citadas, três são de emissoras que já apostam forte no formato: HBO, Warner e Fox, respectivamente.

Já as emissoras abertas Rede Globo e Record estão mudando seu olhar das novelas para esse assunto. Apesar de sempre manter uma série na programação, a Globo, por exemplo, nunca priorizou o formato, até agora. Guel Arraes foi selecionado como diretor de dramaturgia semanal, e sob sua supervisão estreou a nova produção, “Vade Retro”, que tem uma linguagem que é nova na emissora. A fotografia, os efeitos especiais e a parceria com a O2 Filmes mostram que a Globo tem interesse em se reinventar no formato. Mas, por quê?

Estamos chegando ao fim das novelas e da ascensão das séries?

Estamos chegando ao fim das novelas e da ascensão das séries?

Foto: Zé Paulo Cardeal/TV Globo

Claro que seguir uma onda que parece só crescer é um dos motivos. “Existe uma revolução no mundo que está acontecendo com seriados que a gente não pode ignorar”, comenta o diretor geral da série, Mauro Mendonça Filho. “A TV Globo tem uma reputação de conteúdo de televisão, de audiovisual muito convincente. Em termos de novelas, é o time a ser batido. Precisamos ampliar essa reputação para seriados”, completa.

A “era de ouro da televisão” que está acontecendo agora traz histórias, personagens e visibilidade para temas que a indústria cinematográfica parece ter negligenciado nos últimos tempos, e com isso as produções de TV não só prosperam, como recebem o apoio de grandes estrelas do cinema. “Big Little Secrets”, que foi ao ar mais cedo este ano pela HBO é um bom exemplo. A minissérie em sete episódios contou com um elenco estrelado, liderado por duas vencedoras do Oscar, Reese Witherspoon e Nicole Kidman, além de Laura Dern, indicada duas vezes.

Novela x Séries

É difícil traçar uma comparação real entre novelas e séries. Elas tem formatos, propostas e públicos diferentes, mas isso não significa que não possam ser apreciadas igualmente. A própria Televisa, celeiro de novelas que fazem sucesso muito além do México, já repensou sua estratégia e passou a investir mais em séries nos últimos anos.

3% tem boa audiência nos EUA, mas ainda sofre muitas críticas no Brasil

3% tem boa audiência nos EUA, mas ainda sofre muitas críticas no Brasil

Foto: Divulgação/Netflix

Com isso, é de se imaginar que o Brasil vá acompanhar essa crescente, mesmo que as produções nacionais tenham um olhar mais crítico sobre elas, como foi o caso de “3%”. A série, que é a produção de língua não-inglesa mais assistida dos EUA, não teve uma recepção tão calorosa em casa, recebendo críticas que não deixavam passar nada: roteiro, atuação, direção, cenário. Ainda assim, podemos esperar uma expansão das produções. A Netflix planeja outras séries nacionais, como a já confirmada “Samantha” e outra sobre a Operação Lava Jato.

A novela vai acabar?

Não. A novela não vai acabar, e nem deveria. A teledramaturgia brasileira, além de ter maior alcance, tem um papel importante de refletir e população ao mesmo tempo que a entretém. As equipes que a compõe, incluindo autores, diretores e atores têm um talento ímpar, e quem assiste capítulos diários de uma produção não está necessariamente interessado em “maratonar” uma série, portanto há espaço para ambas.

“Carcereiros” estreia na programação da Globo apenas em 2018, mas estará disponível na plataforma digital em Junho

Foto: Divulgação/TV Globo

Mas, no país da novela, talvez seja chegada a hora de oferecer oportunidades para as séries. E as duas principais emissoras a exibirem o formato, Record e Rede Globo, parecem finalmente ter percebido isso. A Record ainda é mais discreta, mas esse ano estreou, com 13 capítulos, a série “Sem Volta”, com uma trama original e fora dos registros bíblicos tradicionais da emissora. Já a Globo foi a Cannes na França para lançar “Carcereiros”, que só deve estrear em 2018 na emissora. Mas, para quem quiser se aventurar na “maratona”, a série estará no serviço “Globo Play” em 5 de junho, pelo menos seis meses antes de ir à TV.

Essa possibilidade também é nova, mas promete crescer ainda mais a longo prazo. A emissora anunciou que irá concentrar o foco de sua estratégia digital no ambiente de vídeo. Seguindo a mesma linha, “Vade Retro” estava disponível na plataforma também antes da estreia na TV.

“Sem Volta” foi tentiva da Record de incluir o formato de séries na programação

Foto: Munir Chatack/Record TV

Parece que a TV aberta finalmente tem se atentado para o fato de que começar a apostar em um formato não significa desistir de outro. Sempre haverá espaço para novelas na produção brasileira, mas isso não significa que as séries não possam se tornar outro grande produto do audiovisual brasileiro.

‘A Força do Querer’: Cibele encontra Ritinha e termina com Ruy

Os próximos capítulos da novela da nove promete esquentar cada dia mais e a família de Ruy descobrirá que Ritinha está grávida através de Bibi

“A Força do Querer” está se aprofundando cada vez mais em seus temas. Como já era de conhecimento de todos antes mesmo da novela estrear, Ritinha, personagem de Isis Valverde largaria Zeca (Marco Pigossi) para ficar com Ruy (Fiuk) e é o que vem acontecendo na trama.

Ritinha e Ruy fogem depois do casamento da moça com Zeca

Ritinha e Ruy fogem depois do casamento da moça com Zeca

Foto: Reprodução/Globo

Os últimos capítulos de “A Força do Querer” mostraram o término de Zeca e Ritinha, a reconciliação, o casamento e, por fim, a moça fugindo com Ruy depois de dizer “sim” ao padre.

O problema é que o personagem de Fiuk também tem seu compromisso e está de casamento marcado com Cibele (Bruna Linzmeyer). Pronto, a confusão está formada: o rapaz levou Ritinha para o Rio de Janeiro, mas a escondeu em sua casa de praia com a ajuda de Amaro (Pedro Nercessian). E agora, o que esperar?

A confusão está formada para Ritinha%2C que largou Zeca e agora está escondida no Rio de Janeiro

A confusão está formada para Ritinha, que largou Zeca e agora está escondida no Rio de Janeiro

Foto: Reprodução/Globo

Na sequência da novela, com início na segunda-feira (24), Cibele decide ir para a casa onde a moça está escondida e a encontra no local. Por sua vez, Ritinha conta sobre seu envolvimento com Ruy, a filha de Dantas vai embora e exige que a jovem vá com ela.

A personagem de Bruna Linzmeyer leva Ritinha à casa da família de Ruy e termina seu noivado, fazendo com que Joyce (Maria Fernanda Cândido) leve a sereia para a casa de Heleinha (Totia Meireles). Qual será o futuro da moça?

Gravidez

Como se não bastasse toda essa confusão, ainda tem a gravidez de Ritinha, que já é de conhecimento de Ruy e o rapaz procura Cibele para contar, mas não tem coragem.

“A Força do Querer” de sábado (29) termina com Ritinha contando à Bibi (Juliana Paes) que está grávida e a mulher de Rubinho (Emílio Dantas) contando a “novidade” para a família de Ruy.

Pedro Paulo Rangel detona Record: ‘Me retrataram como inválido’

Nas redes sociais, o ator Pedro Paulo Rangel acusou a edição do “Domingo Show”, da TV Record, de sensacionalismo ao abordar sua doença pulmonar

O ator Pedro Paulo Rangel, de 68 anos, criticou a edição do programa “Domingo Show”, da TV Record, após a exibição de sua entrevista no último domingo (16). De acordo com ele, o programa vespertino manipulou informações e o retratou como um ator inválido e esquecido.

Pedro Paulo Rangel

Pedro Paulo Rangel

Foto: TV Globo / Gianne Carvalho

Em suas redes sociais, Pedro Paulo Rangel criticou o programa. “Que loucura é essa, TV Record?”, postou, referindo-se à entrevista que concedeu ao programa. ”Por que me trataram como um doente inválido?”, questionou. O ator é portador da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), mas afirmou que ela está sob controle e que nunca foi impedido de trabalhar.

”Minha DPOC está sob controle e nunca parei de trabalhar. A opção de não fazer mais novelas foi tomada por mim apenas porque já as fiz por 40 anos, então dou este carma como cumprido”, esclareceu por meio de suas redes sociais. Ele também afirmou que a reportagem tem inverdades sobre sua carreira, ao afirmar que ele está fora da TV há quatro anos, e que a informação sobre sua nova sitcom, “Prata da Casa“, foi omitida.

Em seu desabafo, o ator continuou com a sequência de esclarecimentos: “Não é verdade que não faço TV há quatro anos. Informação dada e cortada na edição. Nunca parei de fazer teatro. Fiz a peça ‘Histeria’ durante oito meses em São Paulo no ano passado”, garantiu.

Por fim, ele reafirmou que está longe da TV por opção e agradeceu o carinho dos fãs, mas deixou claro que repudia a forma como as informações foram manipuladas e o sensacionalismo utilizado pela emissora afim de atrair mais audiência. “Agradeço a todos que se preocuparam por mim em razão deste lamentável equívoco”, finalizou.

A sitcom “Prata da Casa”, que conta com a participação de Pedro Paulo Rangel, estreia no canal por assinatura Fox no próximo dia 10 de maio.

Nathalie Emmanuel, de ‘Game Of Thrones’, revela grande encontro na série

Em entrevista, a atriz que interpreta a personagem Missandei comentou que nos bastidores diversos personagens se encontraram pela primeira vez

A HBO tem uma política muito forte para evitar spoilers sobre as suas séries, sobretudo sobre o fenômeno de “Game Of Thrones”. Entretanto, apesar de tentar impedir ao máximo ter os rumos dos seriados divulgados na rede, entre uma entrevista e outra, alguns dos acontecimentos das séries acabam saindo da boca dos atores. Foi o que aconteceu durante a entrevista de Nathalie Emmanuel ao site CinemaBlend na última semana.

A atriz de Game Of Thrones afirmou um grande encontro na série em entrevista

A atriz de Game Of Thrones afirmou um grande encontro na série em entrevista

Foto: Reprodução

Ao site, a intérprete de Missandei deixou escapar algumas coisas. “Estou muito entusiasmada para essa temporada, porque muito do que viemos por tanto tempo construindo sobre o inverno estar chegando irá acelerar de vez agora”, comentou a atriz de “Game Of Thrones”. “E haverá um avanço sobre personagens que nunca interagiram se encontrando agora, o que é sempre muito emocionante de se assistir”, revelou.

A personagem de Emmanuel faz parte da trama de Daenerys Targaryen (Emilia Clarke), que encerrou a temporada em busca de recuperar o trono. A revelação da atriz só reafirma os rumores que já estavam circulando pelos fãs de “GoT” de que finalmente poderemos assistir a um encontro entre a Rainha Dagrão e Jon Snow (Kit Harington) neste sétimo ano.

A atriz ainda falou sobre a sua relação com Grey Worm (Jacob Anderson) na trama. “Eles são um casal tão bom porque têm uma pureza sobre a sua conexão. Nasceu de um lugar em que havia dor, confusão e opressão, então eles entendem um ao outro. É muito humano e muito raro. Em um mundo de pessoas que estão sendo massacradas, maltratadas e manipuladas, há esta coisa muito pura, muito doce. É especial”, comentou a atriz.

O sétimo ano

“Game Of Thrones” marca a sua sétima e penúltima temporada em 2017 trazendo muita ação em menos episódios, que desta vez foram reduzidos para sete, diferentemente dos dez usuais. Em clima de despedida, a série ainda não sabe que rumos o universo de Westeros irá tomar, mas os produtores da HBO já afirmaram que não querem estender o projeto e a maior aposta é em uma prequela.

Scroll To Top