Home / Notícias

Category Archives: Notícias

Feed Subscription

Wesley Safadão curte viagem nas Ilhas Maldivas com Thyane Dantas

Logo após a quarta-feira de cinzas, o cantor reservou alguns dias de férias e volta para sua rotina de shows na quinta-feira (16), em Aracajú

Wesley Safadão curte viagem com Thyane Dantas

Wesley Safadão curte viagem com Thyane Dantas

Foto: Reprodução/Instagram

Desde o início deste ano, a agenda de Wesley Safadão vem sendo bem apertada, mas entre sua turnê pela Europa, os muitos shows e apresentações no carnaval, o cantor arruma um tempinho para descansar e aproveitar sua mulher, Thyane Dantas, e os filhos.

Na madrugada desta terça-feira (7), Wesley Safadão useu seu Instagram para compartilhar uma foto em que ele aparece com Thyane Dantas durante uma viagem do casal às Ilhas Maldivas. “O caminho para a felicidade é o próprio caminho! Te amo, meu amor!”, escreveu o cantor.

A loira também usou sua rede social para mostrar a viagem aos seguidores, que ficaram babando em um clique de Thyano com cenário paradisiáco de fundo.

Agenda de shows

As férias de Wesley Safadão começaram na quinta-feira (2) e vão até quarta-feira (15). Na quinta-feira (16), o cantor volta com sua rotina normal de shows e apresenta-se em Aracajú.

‘A Lei do Amor’: Salete beija Gustavo

Dona do posto escuta o conselho de Flávia e vai atrás do frentista

Rio – Salete (Claudia Raia) se encantou por Gustavo (Daniel Rocha), mas Aline (Arianne Botelho) atrapalhou tudo ao mandar uma foto do frentista pelado na cama. A dona do posto ficou com ciúme e deu um verdadeiro sermão justo quando ele estava prestes a se declarar.

 

Salete conversa com Flavia (Maria Flor), que diz que o fato de ter ficado com Aline antes não quer dizer que Gustavo não sinta nada por ela. A dona do posto vai atrás de Gustavo, mas descobre que ele partiu e deixou um bilhete.

“Desculpe se faltei com o respeito, não foi minha intenção. Obrigado por tudo. Fui muito, muito feliz aqui. Vou sempre lembrar da senhora com muito carinho. Gustavo”, escreveu.

Flávia aconselha que a mãe vá atrás do rapaz e Salete segue o conselho. “Gustavo! Como você vai embora do nada, sem nem se despedir?”, pergunta. Gustavo diz que achou melhor partir depois do fora que levou. Salete, então, dá um beijão no rapaz. A cena vai ao ar nesta quinta-feira.

Jovem faz árvore de Natal baseada na saga Harry Potter e faz sucesso na web

Jovem britânica decidiu realizar um sonho de vários fãs de Harry Potter: ela reproduziu o Natal da escola de magia em uma árvore com itens da série

Se você é fã da saga Harry Potter já deve ter sonhado em passar o Natal como os personagens da série de livros e filmes que fez muito sucesso entre os jovens nos anos 2000.

Por mais que seu Natal seja divertido, provavelmente ele não é igual ao da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, dos filmes da saga Harry Potter. A celebração natalina de Hogwarts é sempre grande, com diversas árvores de Natal gigantes e até neve dentro do Salão Principal.

Para ter um Natal como Harry Potter e seus amigos, britânica decidiu fazer uma árvore baseada na série

Para ter um Natal como Harry Potter e seus amigos, britânica decidiu fazer uma árvore baseada na série

Foto: Reprodução/Facebook

Repetir exatamente a comemoração da série em sua casa pode não ser possível, mas uma “trouxa” – como são chamadas as pessoa não-mágicas nos livros e filmes – do Reino Unido, Kathryn Burnett, decidiu chegar perto, e realizar um sonho que muitos fãs da saga têm: ela montou uma árvore de Natal baseada em Harry Potter, com vários itens icônicos do mundo bruxo que todo fã com certeza vai reconhecer.

Ela compartilhou as fotos da árvore montada em seu Facebook e fez o maior sucesso: o álbum já recebeu cerca de 16 mil curtidas e mais de 25 mil comentários de fãs de todo mundo impressionados com a ideia de Kathryn.

Para se inserir mesmo no mundo bruxo, a britânica ainda usou uma frase adapatada de Albus Dumbledore, um importante personagem da série, para descrever seu album: “Happiness can be found even in the darkest of times, if one only remembers to turn on the ‘Christmas Lights’”, ou “A felicidade pode ser encontrada mesmo nas horas mais difíceis, se você lembrar de acender as ‘luzes de Natal’”, na versão em português.

Veja detalhes da árvore dessa britânica que vai dar inveja a todos os fãs do bruxinho.

A britânica pensou em todos os detalhes para a

A britânica pensou em todos os detalhes para a “árvore de Natal de Harry Potter”

Foto: Reprodução/Facebook

Kathryn se preocupou com todos os detalhes, e entre os enfeites da árvore estão o famoso carro voador em que Harry, o personagem principal, e seu melhor amigo, Rony, vão para Hogwarts no segundo filme da série e uma coruja que lembra a Edwiges, a corujinha de Harry. No lado esquerdo ainda podemos notar o símbolo das Relíquias da Morte.

Vários itens da escola de magia foram utilizadas na árvore

Vários itens da escola de magia foram utilizadas na árvore

Foto: Reprodução/Facebook

Claro que não poderia faltar um brazão com as casas de Hogwarts, o chapéu seletor que os alunos devem usar para saber em que casa ficarão e o “Always” – “Para sempre”, em tradução livre, – palavra icônica que o personagem Severo Snape diz no último livro e filme.

Ainda notamos um envelope que simula uma carta da escola de magia e o tão amado elfo Dobby.

A árvore de Natal da britânica impressionou os fãs de Harry Potter

A árvore de Natal da britânica impressionou os fãs de Harry Potter

Foto: Reprodução/Facebook

Por fim, a árvore temática de Harry Potter tem o viratempo e o Pomo de Ouro, que os bruxos caçam no Quadribol, entre outros itens “mágicos”.

‘Blush’, A cor ideal para cada tom de pele

Para ter um resultado excelente na maquiagem, a cor do blush pode ser fundamental. Saiba quais são os tons exatos para você

Ele é capaz de realçar ainda mais a beleza, mudando o tom do rosto e até mesmo o formato quando utilizado de um modo específico. Ah, esse grande aliado só poderia ser o blush!

Nada melhor que uma leve camada de blush para ficar com cara de saúde

Nada melhor que uma leve camada de blush para ficar com cara de saúde

Foto: Getty Images

O blush é um produto essencial quando o assunto é maquiagem. É ele quem dá aquele suspiro saudável no rosto e mesmo sem outro cosmético, dá um up em qualquer visual. Mas como qualquer outro item do seu nécessaire, escolher uma cor que entre em harmonia com seu tom de pele é fundamental, ou o resultado pode ser desastroso! Veja as dicas para não errar na escolha da cor:

Pele clara amarelada

Para realçar a tonalidade do seu rosto, aposte em uma cor que valorize sua pele. Nesse caso, uma boa opção são os tons de rosa mais fechado e as variações de marrom-claro. Tons alaranjados podem deixá-la ainda mais amarela, então evite essas cores!

Pele clara rosada

Já em peles claras, com tons rosados, a ideia é justamente o contrário. Investir em tons de pêssego e laranja, que puxem para os alaranjados, podem equilibrar essa cor natural da cútis.

Pele morena

Um marrom quente ou vinho podem ser o ideal para um visual mais natural. Mas se quiser algo um pouco mais romântico, opte por tons de rosa-pálido para dar um frescor a mais.

Pele negra

Os tons mais escuros, como terracota, vinho ou marrom, favorecem que tem a cútis negra. Tons que puxam para o amarelo e dourado podem investir nos bronzers também para dar um destaque a mais. Evite cores como rosa claro, para não ficar artificial.

Como aplicar

A aplicação é um detalhe super importante para um bom resultado. Nunca deixe o blush muito marcado no rosto – independente de seu tom de pele! Depois, você pode passar de acordo com o seu rosto, para destacar ainda mais.

Para dar somente um ar corado nas maçãs do rosto, aplique de pouco em pouco na parte mais alta do rosto – você pode dar um sorriso nessa hora para saber exatamente onde deve depositar o produto. Para formatos redondos, use o blush nas bochechas puxando em diagonal. Nos quadrados, o foco fica mesmo concentrado nas bochechas. E para os triangulares, o correto é passar do centro para as laterais.

Mulheres já bebem quase tanto quanto os homens, diz estudo

Após analisar dados entre 1891 e 2001 em todo o mundo, estudo concluiu que os problemas resultantes do abuso da bebida também já afetam as mulheres quase na mesma medida que os homens

As mulheres estão consumindo álcool praticamente na mesma quantidade que os homens – e sentindo os seus efeitos na saúde na mesma intensidade -, de acordo com um estudo conduzido pela Universidade de New South Wales, na Austrália. A análise se baseou em dados sobre pessoas nascidas entre 1891 e 2001 em todo o mundo, mas provenientes, em sua maioria, da Europa e da América do Norte. A pesquisa identificou uma mudança substancial nos hábitos desde o início do século 20 até os dias de hoje.

Consumo de álcool por mulheres está crescendo

Consumo de álcool por mulheres está crescendo

Foto: Creative Commons

Na geração atual, segundo o estudo, os homens consomem apenas 10% mais álcool do que as mulheres, enquanto no começo dos anos 1900 eles consumiam mais que o dobro (2,2 vezes) do álcool consumido por elas.

Como consequência, os impactos na saúde das mulheres também se assemelha ao que ocorre entre os homens. Os homens do início do século passado costumavam beber em níveis problemáticos três vezes mais frequentemente que as mulheres. Hoje em dia, essa diferença passou para apenas 1,2 vez.

Além disso, a população masculina costumava ser 3,6 vezes mais suscetível a problemas de saúde decorrentes do consumo de álcool, como cirrose hepática. Agora, os homens são suscetíveis a esses problemas apenas 1,3 vez mais do que as mulheres.

Mudança social

Os pesquisadores consideram que parte da guinada em direção à paridade pode ser explicada pela mudança nos papéis exercidos por homens e mulheres na sociedade.

Segundo o professor Mark Petticrew, da London School of Hygiene and Tropical Medicine, o aumento da disponibilidade da bebida no mercado e a publicidade de álcool voltada para mulheres – especialmente as mais jovens – também são fatores importantes.

“O consumo de álcool e os problemas relacionados a ele eram historicamente vistos como um fenômeno masculino,” alerta Petticrew.

Já não são mais, diz o pesquisador. Por isso, o estudo recomenda que os esforços para moderar o consumo de álcool e reduzir os problemas decorrentes desse abuso sejam também direcionados ao público feminino.

“Os profissionais de saúde precisam ajudar as pessoas – tanto homens quanto mulheres – a compreender os riscos do consumo de álcool e saber como reduzir os seus efeitos maléficos“, afirma o professor.

Maionese pode fazer bem à saúde, segundo estudo; veja motivos

Segundo pesquisa, a maionese é um bom acompanhamento para pratos e saladas. Veja todos os detalhes do estudo

Maionese combina com salada, sanduíche, hambúrguer e alimentação saudável. Sim, esse último item parece estar meio fora do contexto, mas é isso que indica uma pesquisa recente do Instituto de Cardiologia da Escola de Medicina da USP.

Maionese pode fazer parte de uma alimentação saudável, indica estudo

Maionese pode fazer parte de uma alimentação saudável, indica estudo

Foto: Thinkstock/Getty Images

De acordo com o estudo, a maionese pode ajudar na absorção de nutrientes, fazendo com o corpo aproveite melhor essas substâncias. O responsável por esse processo são as gorduras boas presentes no molho.

O estudo observou pessoas entre 18 e 60 anos e comparou aquelas que consumiam apenas verduras e legumes com um grupo que adicionava o molho ao prato. Os resultados mostraram que quem também consumia maionese junto com a salada teve um aumento de 80% a 110% da absorção de alguns tipos de nutrientes.

Roberta Cassani, nutricionista e doutora pela Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto, lembra que esse molho é feito a base de ovos, sal, água, limão ou vinagre e óleo e é uma fonte de gorduras boas para o organismo. E é isso que melhora a absorção.

Alguns dos nutrientes presentes nas hortaliças, por exemplo, lipossolúveis, o que significa que se dissolvem em gordura. Como molho tem gordura, ele ajuda a dissolver tais nutrientes e, por isso, faz com que eles sejam melhores absorvidos pelo organismo.

A nutricionista ainda ressalta que para melhorar a alimentação é preciso mais do que adicionar um elemento. Vegetais são fundamentais no cardápio do dia-a-dia porque contém nutrientes como vitaminas, minerais, carotenóides, flavonóides e fibras. Lembre-se de incluí-los na rotina, afinal, ao ingerir uma quantidade pequena desse grupo de alimentos também estará deixando de consumir itens importantes para a saúde e bem-estar.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que sejam consumidos 400 gramas de vegetais e frutas, pelo menos. Isso daria duas porções de frutas e

três de vegetais diárias. Entretanto, no Brasil só 24,1% da população chega a essa meta.

O resultado do estudo da USP é bom para quem gosta de maionese, mas é melhor não abusar. O molho é calórico e pode arruinar a dieta. Por isso, pode ser consumido, sim, mas com moderação, e ao lado de alimentos saudáveis, como os legumes, verduras e hortaliças.

Pesquisa revela que apenas 3% das bonecas disponíveis no mercado são negras

ONG analisou sites dos principais fabricantes e das lojas mais populares. O resultado incentivou a criação da campanha “Cadê nossa boneca?”

Com o Dia das Crianças chegando, a busca por presentes se intensifica. A quantidade de brinquedos disponíveis é tão grande que muitas vezes alguns detalhes passam despercebidos. Por exemplo, quantas bonecas negras você já viu no mercado? Foi com esse questionamento que a ONG Avante – Educação e Mobilização Social, de Salvador (BA), realizou um estudo monitorando os principais fabricantes de brinquedos e lojas virtuais do país e constatou de apenas 3% das bonecas são negras. Para chamar a atenção para essa desigualdade, lançou a campanha “Cadê Nossa Boneca?” que logo se popularizou na internet.

Campanha “Cadê nossa boneca%3F” foi criada após pesquisa indicar que apenas 3% das bonecas são negras

Campanha “Cadê nossa boneca” foi criada após pesquisa indicar que apenas 3% das bonecas são negras

Foto: Divulgação

Tanto o estudo quanto a campanha têm o objetivo de conscientizar os fabricantes, as lojas de brinquedos e a sociedade sobre a importância da criança se sentir representada através do brinquedo. Do total de 1.945 modelos de bonecas encontradas nos sites que trabalham com fabricantes de brinquedos do Brasil, apenas 131 são negras.

Analisando o fabricante

O azul representa as bonecas brancas e o vermelho representa as bonecas negras

O azul representa as bonecas brancas e o vermelho representa as bonecas negras

Foto: Divulgação

Para chegar a esse resultado, a ONG analisou o comércio online brasileiro e a pesquisa foi dividida em duas etapas. Primeiro foi consultado 31 das principais empresas fabricantes, sendo que desse total, somente 16 contam com bonecas negras no portfólio.

Monitorando lojas online

Na segunda etapa, foram analisados os principais revendedores online de brinquedos: Americanas.com, Walmart.com e Ri Happy e as proporções de bonecas negras foram ainda menores. A Americanas.com apresentou a pior situação, das 3.030 bonecas à venda só 18 eram negras, o que representa 0,6%. Já no site da Ri Happy, das 632 bonecas disponíveis para venda, 17 são negras e no e-commerce do Walmart, de 835 modelos, apenas 20 não são brancas.

“Moramos em um país em que, segundo dados do IBGE, negros e pardos representam 53,6% da população brasileira. Ainda assim, nota-se a grande prevalência de bonecas brancas nos portfólios dos fabricantes. Em média, a proporção das mesmas em relação às bonecas negras é de 95%”, afirma Ana Marcilio, coordenadora da campanha e de projetos da Avante.

A coordenadora da campanha também alerta que é importante que seja oferecido produtos que representem as crianças brasileiras. . “A representatividade na infância é algo muito importante para a formação da criança”, comenta Ana.

“Cadê nossa boneca?”

A campanha foi lançada no dia 7 de abril para gerar uma reflexão sobre padrões estéticos e representatividade na infância. Em pouco tempo, mais de 400 mil pessoas foram impactadas nas redes sociais. Essa iniciativa não tem ligação com nenhum fabricante de brinquedos e é sem fins lucrativos.

“Mudanças sutis como esta são um grande passo na construção de uma sociedade que respeita e aceita suas diferenças raciais, contribuindo assim para que haja diminuição do preconceito, além de elevar a autoestima das crianças negras, que passarão a ver a si mesmas representadas nos brinquedos”, expõe Mylene Alves, coordenadora da campanha “Cadê nossa boneca?”.

Ficar sozinho pode ser a melhor maneira de descansar, diz pesquisa

Teste foi respondido por 18 mil pessoas e traz informações surpreendentes sobre o que significa descansar e qual é a forma mais eficiente de fazer isso

É comum ouvir pessoas reclamarem de cansaço no dia a dia. Mas de quanto tempo de descanso, em média, uma pessoa precisa por dia? Quem tem mais tempo para descansar? E quais são as atividades mais relaxantes para amenizar um dia cansativo? Os resultados da maior pesquisa recente já feita sobre o assunto indicam que, para se sentirem plenamente descansadas, boa parte das pessoas precisam estar sozinhas.

Ficar sozinha pode ser uma ótima escolha para quem quer descansar. Concorda%3F

Ficar sozinha pode ser uma ótima escolha para quem quer descansar.

Foto: Creative Commons

O “Teste do Descanso” foi uma pesquisa realizada pela BBC e o Hubbub, um coletivo internacional de pesquisadores vinculados à Durham University, na Inglaterra, com o objetivo de desvendar o que significa “descansar” para pessoas de diferentes partes do mundo.

Ao todo, 18 mil pessoas de 134 países diferentes responderam à pesquisa, lançada em novembro do ano passado com o objetivo de entender como as pessoas gostam de descansar e se existe alguma relação entre descanso e bem-estar.

O ato de “descansar” está longe de ter uma definição única e direta. O verbo se aplica apenas para o corpo ou também para a mente? Na verdade, depende. Para alguns, a mente não pode descansar enquanto o corpo não estiver descansando.

Para outros, acontece o oposto. A mente só consegue descansar após “cansar” o corpo, como por exemplo em intensas atividades físicas – 16% das pessoas disseram que “descansam” com exercício físico.

Cerca de dois terços dos que responderam à pesquisa disseram que gostariam de ter mais tempo para descansar. Quase um terço afirmou que precisa de mais tempo de descanso do que a média das pessoas – e 10% responderam que precisariam de menos tempo do que a média.

Uma das questões do teste perguntava quanto tempo as pessoas haviam descansado no dia anterior, deixando-as livres para responder da maneira que quisessem. A média foi de três horas e seis minutos.

Outra parte do teste dava às pessoas uma longa lista de atividades, perguntando quais delas seriam as três mais “relaxantes” – o resultado foi, de certa forma, inesperado.

Ler” foi a vencedora, seguida de “estar em um ambiente cheio de natureza”, “estar sozinho”, “ouvir música“, e “fazer nada”.

Ler foi apontado na pesquisa como atividade relaxante

Ler foi apontado na pesquisa como atividade relaxante

Foto: Creative Commons

O que chama a atenção é que todas essas atividades, na maioria das vezes, são feitas em situações em que estamos sozinhos.

Isso poderia significar que para conseguir descansar é bom ficar longe das outras pessoas?

Encontrar amigos e familiares, conversar ou beber socialmente foram atividades que ficaram bem mais abaixo no ranking das “melhores para se descansar”. Isso não significa qe as pessoas que responderam ao teste não são sociáveis ou não gostam de estar com os outros, mas apenas que não veem isso necessariamente como uma forma efetiva de descanso.

É interessante notar também que isso se aplica tanto no caso de pessoas extrovertidas – que muitas vezes são definidas como pessoas que recarregam suas energias quando estão cercadas por muita gente -, quanto de introvertidas. No ranking das pessoas extrovertidas, essas atividades sociais até apareceram mais para cima, mas ainda bem abaixo das atividades consideradas “solitárias”.

Nós precisamos lembrar, claro, que escolher estar sozinho é diferente de solidão forçada.

O motivo pelo qual as pessoas preferem estar sozinhas pode ser explicado pela resposta que elas deram quando perguntadas sobre o que vem à mente quando estão fazendo atividades diferentes.

“As pessoas disseram que, quando estão sozinhas, em geral elas focam mais naquilo que estão sentindo, no seu próprio corpo e nas próprias emoções”, afirmou Ben Alderson-Day, um psicólogo da Durham University, que foi co-autor da pesquisa.

A ideia de que quando as pessoas estão sozinhas, elas estão mentalmente conversando consigo mesmas é verdadeira apenas em parte, ao que parece.

Ouvir música também ajuda a relaxar e a descansar

Ouvir música também ajuda a relaxar e a descansar

Foto: Creative Commons

“As pessoas disseram que só estavam conversando com elas mesmas por 30% do tempo”, disse Alderson-Day. “Há um indício de que quando você está sozinho, além de se desligar das outras pessoas, você tem a chance de se desligar do seu próprio monólogo interno também.”

Mas só porque nós estamos sozinhos fazendo algo, não significa que nosso cérebro está descansando.

Neurocientistas costumavam pensar que o cérebro ficava menos ativo quando as pessoas paravam de se concentrar em uma tarefa específica. Mas estudos mais recentes do século 20 feitos com escaneamento do cérebro trouxeram algumas descobertas curiosas sobre isso – e comprovaram que, na verdade, os neurocientistas do passado estavam errados.

Quando estamos descansando, supostamente fazendo nada, nossa mente tem a tendência de passear pelos pensamentos e nosso cérebro acaba ficando mais “ocupado” do que quando está concentrado em uma só tarefa.

Hoje em dia, é comum ouvir as pessoas reclamarem que é difícil descansar. Mas e se não tivermos tempo suficiente para essas atividades “relaxantes”? Isso faz diferença?

Possivelmente.

No Teste do Descanso, pessoas que tinham menos horas de descanso no dia anterior tiveram uma pontuação menor na escala de bem-estar.

Na verdade, pessoas que não sentem necessidade de mais horas de descanso tiveram o dobro da pontuação de bem-estar se comparadas àquelas que afirmaram sentir falta de mais tempo para descansar. Isso sugere que a percepção do descanso importa. Em geral, se nós não nos sentimos “descansados”, nosso bem-estar despenca.

Pessoas com a mais alta pontuação no quesito bem-estar haviam descansado em média cinco ou seis horas no dia anterior. Mas para as que tinham tido mais tempo de descanso do que isso, o nível do bem-estar começava a cair levemente. Será que isso significaria que um descanso “forçado” – se você está desempregado ou talvez doente – não tem o mesmo impacto no bem-estar das pessoas? Talvez cinco ou seis horas seria o tempo ideal de descanso para qualquer um.

Esse levantamento só pode nos dar impressões instantâneas e pontuais no tempo. Não dá para ter certeza de que o descanso ou a falta dele teve qualquer impacto nos níveis de bem-estar. Seria possível, ao contrário, dizer que altos níveis de bem-estar poderiam fazer com que as pessoas se sentissem “descansadas”?

Independente de qualquer coisa, a relação entre descanso e bem-estar é impressionante.

Foi notável perceber que, quando questionados sobre que palavras associariam das com descanso, quase 9% das pessoas escolheram “culpado” ou até “estresse induzido”. Ou seja, sim, descansar faz algumas pessoas se preocuparem com o que estão deixando de fazer.

Felicity Callard, da Durham University, e diretora do Hubbub, afirma: “Nós realmente precisamos transformar esse conceito de que, quando você descansa mais, você se torna preguiçoso. O fato de que as pessoas que descansam mais parecem ter um nível de bem-estar mais alto do que as outras é uma prova da necessidade do descanso”.

Mas, afinal, quem consegue ter mais tempo de descanso? Baseado na quantidade de horas que as pessoas disseram ter descansado nas 24 h anteriores, o grupo que menos havia descansado era, em média, composto de pessoas jovens, que tinham empregos tradicionais, às vezes com trabalho em períodos noturnos. Eles também tendiam a ter renda mais alta.

Enquanto o grupo mais “descansado” em geral era mais velho, com renda mais baixa, sem emprego ou trabalhando em dois turnos diários separados – quando as pessoas trabalham um certo número de horas, depois têm tempo livre e depois voltam a trabalhar bem mais tarde naquele dia.

Homens estavam mais propensos a dizer que têm menos tempo de descanso do que uma pessoa normal em média – mas, na realidade, seus relatos mostravam que eles tinham tido, em média, 10 minutos a mais de descanso do que as mulheres no dia anterior.

De novo, diferentes percepções de descanso podem confundir. Estar ocupado se tornou um símbolo de status na sociedade atual. Estar ocupado significa “ser requisitado”, ou seja, valorizado.

Quando as pessoas nos perguntam como estamos e nós respondemos que estamos “ocupados, muito ocupados”, quanto da nossa resposta tem realmente a ver com nosso status naquele momento? Será que as pessoas com renda mais alta tendem a querer dizer que estão “ocupadas”? Ou será que eles têm empregos onde as novas tecnologias não os permitem “desligar”?

A resposta para outra pergunta do teste pode trazer uma luz a esta questão. As pessoas tiveram de responder até onde elas acreditam que descansar é o oposto de trabalhar. A maioria das pessoas que tinham um emprego fixo responderam que sim.

Mas as pessoas que eram autônomas ou voluntárias tiveram uma tendência contrária e disseram que não. Será que ter o controle sobre seu trabalho afeta a forma sobre como o vê? O trabalho poderia ser visto como “descanso” se você realmente gosta do que faz?

Uma análise completa das respostas será publicada até o próximo ano. Já está claro que ela trará lições para os médicos. Callard pontua que, quando eles prescrevem “descanso”, nem todo paciente irá entender essa palavra/recomendação da mesma forma.

“Existe uma necessidade clínica de ser mais explícito sobre o que você está prescrevendo quando recomenda descanso. Mas você precisa saber o que esse indivíduo, em particular, considera como ‘descansar’. Apenas dizer a uma pessoa para não fazer nada pode provocar mais ansiedade do que relaxamento em si.”

Muita gente, aparentemente, gostaria de ter mais tempo para descansar, mas talvez esse desejo nem seja com relação ao total de horas descansando ou trabalhando – mas sim com relação ao ritmo de trabalho e de descanso, com ou sem as pessoas.

Para nos sentirmos plenamente descansados, nós precisamos de um tempo sozinhos sem medo de sermos interrompidos para podermos ficar a sós com nossos pensamentos? Pelo que indica o Teste do Descanso, é bem possível que sim.

Se antes, dormir era sinônimo de descansar, hoje a percepção é de que o sono é uma “resposta insuficiente” para as dificuldades da vida.

‘Vai viajar sozinha?’, Veja dicas para fugir de perigos, violência e assédio

Existe mulher que adora viajar e explorar o mundo sozinha. Blogueira dá dicas para curtir o passeio ao máximo e evitar situações que ofereçam risco

Você é daquelas mulheres com alma de exploradora e gosta de viajar. Se tiver de ir sozinha, tudo bem. A blogueira Lala Rebelo é uma dessas mulheres. Ela viaja desde os 15 anos e já conheceu 57 países. E foi sozinha para muitos desses destinos. Entretanto, nem tudo foi um sonho de viagem. Mulheres sozinhas podem passar por situações de risco, assédio e violência.

Lalá conta que em uma viagem sozinha à França foi cercada por um grupo de homens. Ela estava no último vagão de um trêm quando os rapazes chegaram. “Quando consegui fugir do trem, chorei rios”, relata.

“Infelizmente, em pleno século XXI, continuamos à mercê daqueles que acham que podem fazer o que quiserem com as mulheres, principalmente em um lugar não familiar para nós”, afirma. Ainda segundo a blogueira, a violência contra a mulher pode acontecer em países ricos, pobres e de diferentes culturas.

Entretanto, isso não é motivo para deixar de viajar. A vontade de conhecer novos lugares não sumiu depois do episódio na França. “Minha sede de explorar o mundo poderia ter ido embora com as lágrimas, mas não foi”, comenta.

Com alguns cuidados%2C viajar sozinha pode ser uma excelente aventura e até uma forma de se conhecer como no filme

Com alguns cuidados, viajar sozinha pode ser uma excelente aventura e até uma forma de se conhecer como no filme “Comer, rezar e amar”

Foto: Divulgação

Lala dá uma série de dicas para quem quer, sim, conhecer o mundo. E por que não fazer isso sozinha?

Planejamento

É importante que aconteça um planejamento antes de ir viajar. A mulher deve pesquisar muito bem o local que irá ficar, seja um hotel ou albergue, principalmente a localização deles. “Tente achar comentários de quem já foi”, opina.

Também é importante planejar o que pretende fazer no local e quais lugares vai visitar. Tenha um mapa sempre em mãos. Além disso, não aceite sugestões de programações sem antes pesquisar para saber do que se trata.

Passeios e tours

A blogueira aconselha participar de passeios coletivos. “É mais seguro e favorece aà sozialização”, explica. Ainda evite parques e ruas desertas, e opte sempre por encontros em lugares públicos, com mais gente ao redor.

Dinheiro

Uma dica muito importante é levar cartão de crédito, débito, dinheiro e vários tipos de meio de pagamento para distribuir em diferentes lugares. “Um pouco na carteira, um pouco na mala e algo na famosa pochete interna”, conta.

Se ainda assim você for roubado, a dica de Lala é não pedir favores à estranhos. “Existe empresas de envio de dinheiro em minutos espalhadas ao redor do mundo e você pode pedir para que alguém da família envie a quantia a você”.

Respeite a cultura local

É importante que a mulher que viajou sozinha tente se vestir conforme os costumes do lugar. “Pesquise como as mulheres se vestem em determinado país para se vestir de acordo, e assim não ofender ninguém”, opina a blogueira.

Cuidados extras

Não aceitar bebida de estranhos é um cuidado que deve-se tomar na vida, mas principalmente quando está em um lugar desconhecido ou com pessoas desconhecidas. Ter cópia dos documentos e reservas no e-mail também é um cuidado importante, segundo a viajante. “Antes de viajar sozinha, deixe seus familiares ou amigos cientes de seu itinerário”, pontua.

‘Dieta da atração’, Elas ficam mais atraídas quando eles comem frutas e vegetais

Pesquisa recente indica que o que os homens comem podem deixá-los mais ou menos atraentes para as mulheres. Será?

Para um homem despertar a atração em uma mulher ele pode demonstrar bom humor, ter uma conversa interessante, ser bonito. Mas uma pesquisa recente mostra que a alimentação também pode ter um papel fundamental para isso.

Homens despertam mais atração nas mulheres de acordo com a alimentação%2C segundo pesquisa

Homens despertam mais atração nas mulheres de acordo com a alimentação, segundo pesquisa

Foto: Reprodução/Instagram

De acordo com estudo publicado no jornal científico “Evolution and Human Behavior” e comentado pelo site “My Domaine”, as mulheres sentem mais atração por homens que comem mais frutas e verduras pelo aroma que eles exalam. Por outro lado, mulheres são repelidas por aqueles que exageram nos carboidratos.

A pesquisa tenta entender a relação entre os odores do suor, saúde e genética. Para isso, homens cederam amostras de suor e também fizeram relatórios detalhados sobre a dieta e os hábitos alimentares que seguiam. Já as mulheres que participaram da pesquisa avaliaram as amostras de suor. Foram levados em conta fatores piscicológicos, afetivos e qualitativos.

Os resultados mostraram que, no geral, os homens que seguiam um cardápio saudável, com grande quantidade de frutas e vegetais, produziam um suor com aroma mais doce e frutado, o que atraía mais as mulheres.

Em uma escala de atração, logo depois desse primeiro grupo apareceram os homens que mantinham uma dieta com poucas gorduras, carnes, ovos e queijos. Nesse caso, o suor ainda apresentava um pouco do aroma adocicado.

Por último, foi listada no estudo a parcela daqueles que se alimentavam regularmente com muitas fontes de carboidrato. Eles produziram um suor com odor mais forte e menos prazeroso para as mulheres, que se sentiam repelidas.

O estudo ainda indica que esse odor mais frutado também indica que o homem é saudável, um fator a mais para despertar o interesse da mulher, em termos de biologia. É instinto que as mulheres procurem homens fortes e de boa qualidade de vida para se relacionar e o odor do suor pode ser um indicativo dessa condição, mesmo que tudo isso aconteça sem que a mulher nem se dê conta.

No final, se seeguir uma alimentação saudável não ajudar na lei da atração, pelo menos vai fazer um bem enorme para a saúde, afinal, frutas e vegetais sempre são bem-vindos no cardápio, muito mais do que os carboidratos.

Scroll To Top